jusbrasil.com.br
18 de Agosto de 2019

Os 10 livros de negócios mais vendidos de 2018. Quantos você leu?

Desenvolvimento profissional domina best-sellers deste ano; coach Paulo Vieira se destaca ao aparecer no ranking com quatro títulos

VALTER DOS  SANTOS, Professor
Publicado por VALTER DOS SANTOS
há 7 meses

Em matéria pública por Meire Kusumoto na revista veja em que elenca Os 10 livros de negócios mais vendidos de 2018. Confira abaixo os best-sellers que você não pode deixar de ler para implantar os conhecimento em seu ramo de atividade.

Carreira, mercado de trabalho, finanças. Esses foram os principais temas abordados nos livros mais vendidos de negócios em 2018. Clássicos do gênero, como Pai Rico, Pai Pobre, lançado há quase vinte anos, dividiram espaço com obras mais recentes, mas nem por isso menos significativas: os quatro títulos do coach Paulo Vieira que fazem parte do ranking, por exemplo, venderam, juntos, mais de 300.000 exemplares – um verdadeiro estrondo.

Quantos dos best-sellers do ano você leu?

Faça o teste arrastando as capas (dos livros que você já leu para a direita e dos que você não leu para a esquerda) ou usando os botões.

Leia mais sobre cada um dos títulos:

1. O Poder da Ação (Editora Gente)

Escrito pelo coach Paulo Vieira, que se tornou uma espécie de guru do desenvolvimento pessoal e profissional nos últimos anos com seus cursos e best-sellers, O Poder da Ação vem entrando na lista de mais vendidos todos os anos desde 2015, quando chegou às livrarias. Em 2018, não foi diferente: foi o terceiro livro de autoajuda mais comercializado, segundo ranking de VEJA. Levando em conta apenas os volumes que tratam de negócios/carreira/finanças, é o primeiro, com 162.597 exemplares vendidos durante o ano. No livro, Vieira ensina aos leitores um método para que as pessoas conquistem o sucesso pessoal e profissional, com exercícios, estudos de caso e reflexões.

2. Seja F***! (Buzz Editora)

Lançado há cerca de um ano, o livro do empreendedor e palestrante Caio Carneiro vendeu 147.894 cópias em 2018. Seguindo os moldes clássicos do gênero autoajuda, procura ensinar ao leitor os comportamentos necessários para conquistar seus objetivos, na vida e na carreira, e se tornar feliz, otimista, determinado e abundante

3. O Poder do Hábito (Objetiva)

O volume do americano Charles Duhigg chegou ao mercado em 2012, mas continua em alta – em 2018, vendeu 138.965 unidades no Brasil, segundo levantamento de VEJA. No livro, o jornalista constata que entender melhor como os hábitos funcionam e como são criados ajuda o leitor a transformá-los, quando necessário, o que pode causar impacto positivo em sua produtividade, felicidade e até estabilidade financeira.

4. Me Poupe! (Sextante)

A jornalista Nathalia Arcuri se tornou conhecida depois que começou a dar dicas de finanças pessoais em seu canal no YouTube – e também após contar que, aos 32 anos, já tinha conquistado o primeiro milhão de reais. O sucesso de Me Poupe! não surpreende, portanto: todos querem saber como a moça conseguiu se tornar milionária tão jovem. No guia, que foi lançado em maio e vendeu 102.872 exemplares, ela dá as dicas básicas para quem quer começar a guardar dinheiro, como ter objetivos definidos e fazer os investimentos adequados aos seus ganhos e planos.

5. Por Que Fazemos o Que Fazemos? (Planeta)

O filósofo Mario Sergio Cortella vendeu 97.262 cópias de seu livro, lançado em 2016, durante este ano de 2018. No volume, ele se dedica às questões, filosóficas ou não, que envolvem o universo do trabalho. Questiona por que muitas pessoas sentem preguiça de ir ao escritório e prega a importância de se ter objetivos e propósitos claros.

6. Os Segredos da Mente Milionária (Sextante)

Lançado por aqui em 2006, é um best-seller desde então – somente em 2018, vendeu 84.944 cópias. Nele, o empresário e palestrante canadense T. Harv Eker apresenta alguns princípios que diferenciam os ricos das demais pessoas e ensina um método para administrar as finanças. Ele argumenta, por exemplo, que se a motivação de uma pessoa para enriquecer tem origem negativa, como a raiva ou a inveja, o dinheiro nunca a fará feliz e que a falta de satisfação na vida pode levar alguém a gastar mais do que realmente precisa.

7. Poder e Alta Performance (Editora Gente)

Neste livro, Paulo Vieira propõe estratégias para que o leitor promova mudanças rápidas e permanentes em sua vida, a fiz de conquistar objetivos e felicidade. O coach apresenta ferramentas para que as pessoas, por exemplo, identifiquem que problemas precisam enfrentar e como sair da zona de conforto. O volume, que chegou às livrarias em abril de 2017, teve 57.357 unidades comercializadas em 2018.

8. Pai Rico, Pai Pobre (Alta Books)

Lançado em 2000 no Brasil, o livro continua sendo um dos mais vendidos da categoria de finanças pessoais: em 2018, foram comercializados 54.011 exemplares. No volume, o americano Robert Kiyosaki afirma que as escolas tradicionais não dão as devidas orientações a seus alunos quando o assunto é dinheiro e que os pais acabam assumindo esse papel. Usando de exemplos e parábolas, defende o valor do planejamento financeiro e de investimentos bem feitos.

9. Fator de Enriquecimento (Editora Gente)

Pouco modesto, Paulo Vieira afirma que esse é o livro mais “impactante, profundo e transformador que você terá lido sobre dinheiro e finanças pessoais”. Nele, o autor diz ter descoberto quais são as variáveis que compõem uma equação matemática batizada de fator de enriquecimento, que determina a capacidade de uma pessoa de enriquecer. E promete: “Você está prestes a ser realmente rico!”. Pelo número de vendas, 47.400 cópias só durante o ano de 2018, tem muita gente interessada no método do coach.

10. Foco na Prática (Editora Gente)

O caderno de exercícios criado por Paulo Vieira propõe uma rotina de 60 dias para que o leitor consiga fazer uma avaliação de sua vida pessoal, profissional e financeira, determinar quais são suas prioridades e traçar um plano para conquistar seus objetivos. O manual, lançado em agosto de 2017, vendeu 46.119 unidades em 2018.

Crédito: Meire Kusumoto - revista veja.


4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Como um autor de palestras sempre comenta: "Livros de auto-ajuda realmente ajudam quem os escreveu". continuar lendo

E os palestrantes, são auxiliados por quem? continuar lendo

Sr. Thiago Oliveira

Peço desculpas pelo mal uso das palavras que escrevi, por favor onde se lê "...um autor de palestras..." leia "...um palestrante...", já quem os auxilia são, certamente, os ávidos pelo saber. continuar lendo

Gente existe pra viver em sociedade e trocar (idéias, ensinamentos, opiniões). Só pedra não aprende nada! continuar lendo